Qual é a desculpa que você tem contado, para não vivenciar a mudança que você quer na sua vida?

Qual é a história que você tem contado para não vivenciar as mudanças que você quer na sua vida?

Qual é a história que você tem contado para não vivenciar a mudança que você quer na sua vida? O que você tem contado para não viver a produtividade que você deseja?

Como Coach é claro, que eu sei da eficácia dos planos, da eficácia da ferramentas, mas existem alguns padrões de pensamento que se a gente não muda, acabamos voltando aos velhos hábitos, ainda que tenhamos a solução nas mãos.

Então, além do conhecimento que nós precisamos ter de ferramentas, de métodos…para que consigamos atingir a performance que desejamos para alcançar os nossos resultados, não podemos ignorar que nós não somos robôs.

E para atingirmos esses resultados,  vamos precisar lidar com a nossa humanidade, com as nossas limitações, com as nossas fraquezas e principalmente aprender a lidar com o nosso subconsciente.

Como as histórias são os motivos de não conseguirmos as mudanças

Pra simplificar isso eu quero mostrar para você, como que as histórias, as desculpas que a gente conta, são exatamente os motivos, que estão nos impedindo de viver a mudança que desejamos.

Sempre que eu ouço pessoas falando assim: “Olha eu não faço isso, porque eu não tenho tempo”, “Eu não faço isso, por causa do meu filho”, “Eu não faço isso por causa de fulano”… esse hábito de sempre justificar uma ação, que você na verdade gostaria de fazer, na verdade é uma autossabotagem.

Por que se é algo que você não quer fazer, tudo bem você dizer que tem outra prioridade! Agora se é algo que você quer fazer, mas está contando uma “História” para não fazer” isso é uma forma de autossabotagem, para que você não viva uma mudança e continuar no seu padrão antigo de pensamento.

Por que a pessoa conta “histórias” para aquilo que na verdade ela gostaria de fazer?

E tudo isso porquê? Por que a pessoa não buscou ter a clareza, do quanto se esforçar para viver essa mudança, pode trazer impactatos positivos na sua vida e por isso, não foi difícil para encaixar uma história ali.

 Quando temos a clareza de que alguns hábitos são realmente importantes, acabamos fazendo o que for necessário para que aquilo aconteça. Eu lembro de algumas coisas na minha vida, que eu fiz um esforço grande na época, para conseguir aquilo, e eu nem media o esforço que estava fazendo para isso… E hoje que eu tenho outras prioridades eu realmente não teria o mesmo animo, porque não existe mais o motivo. Imagino que agora você também deve ter se lembrado de algumas histórias suas também…

Agora como eu disse tudo bem você dizer não para o que você não quer, agora como explicar você contar história para o que você quer? O primeiro passo é ter a consciencia, de quais são as histórias que não estão deixando você mudar sua vida.

Quais são as historias que você está contando para você hoje? Liste agora 3 histórias. Talvez sua história seja simplesmente a seguinte: “Marina sabe é que “Eu não gosto desse negócio de planejamento”, “Não gosto de números”, “Eu tô muito cansado”,  “Tô trabalhando muito” “Não tenho tempo”… muita gente quando vem me dar uma justificativa usa a desculpa “Eu não gosto”. Será que alguém que conseguiu sucesso em alguma área da vida só fez o que gostava?

Qual o padrão de pensamento mais comum que se esconde por trás da pessoa contar uma história

E a gente percebe que por trás dessa história já se esconde um padrão de pensamento que impede a produtividade de várias pessoas:que é  querer fazer só o que gosta e quando sente vontade, ou esperar que todas as circunstâncias estejam favoráveis

A grande verdade é que para mudarmos vamos ter que escolher pagar o preço com algo que não gostamos: ou eu detesto essa vida cheia de ocupação e bagunçada, que eu não tenho controle de nada, que eu me sinto engolido ou eu vou ficar rejeitando fazer um planejamento, escrever as minhas metas, aprender acompanhar os números, aprender a trabalhar com métricas.

Você consegue perceber, que não é possível ser uma pessoa que diz, que não gosta de planejamento, métricas, não vai olhar acompanhar seus números e ao mesmo tempo vai ter produtividade e uma vida organizada!?

São coisas que não caminham juntas, entende? Se você quer ter uma vida que você tem a liberdade de não organizar, de não colocar metas, de não trabalhar com métricas, tudo bem é um direito seu, é a sua escolha. Porém você não vai poder fugir da sua colheita de uma vida imprevisível, uma vida engolida, uma vida desorganizada.

Somos nós que plantamos a nossa vida, tudo que tem hoje na sua vida foi você quem atraiu para sua vida, por mais duro que pareça essa é a grande verdade!  Todos os dias você tem a oportunidade de plantar uma vida engolida ou uma vida com controle, uma vida de tranquilidade, de harmonia, de produtividade.

E agora que você percebe que não é uma vítima de circunstâncias e que você pode escolher o que quer para sua vida eu te pergunto: Qual é a vida que você quer pra você?

Lembre-se o que você plantar você vai colher! Agora quando você  plantar uma vida de planejamento, vida de métricas, uma vida de acompanhar seus números ( porque não que não adianta planejar se você não estiver vendo se os seus números estão aumentando ou não). Qual é a evolução que você está tendo?

O que acontece muitas vezes é a pessoa não olhar a evolução dela, mas olha “o outro”. Olha o que o outro está fazendo e começa a se comparar com o outro. Consegue entender?

E ai a pessoa conta a seguinte “história” “é muito difícil, não quero ficar olhando meus números, minhas métricas, o que eu posso melhorar” e ai não encontra tempo para olhar para si ( que é o lugar de Potencial da Mudança) e  às vezes fico olhando “os outros”. E diz: “O “outro está tendo facilidade”, “o outro está conquistando” . E a pior coisa que a gente pode fazer em prol da nossa produtividade é ficar olhando os resultados dos outros.

Sabe o que acontece nesse momento? Acontece o  fenômeno da estagnação, da paralisação!

Você começa a não agir, começa a achar que o que você está fazendo é muito pouco…começa a não dar valor as suas conquistas.

Agora você tem uma história, você tem um contexto, tem um preço que você pagou e o outro tem o  preço que ele pagou. Então não tem como você comprar as duas histórias. Talvez você possa ate ter  os outros como referência, como um retrovisor pequeno, só para saber se você está na direção certa. Porém você deve ser o para-brisas do seu carro, você tem que manter os olhos em você, e no que você fez que pode ser melhorado e dá valor a isso!

Não importam os seus números, se você continuar olhando para eles você sempre vai caminhar para frente. E essa é a parte mais importante! Uma vez que você começa a olhar para você, a olhar para seus números, você vai começar a progredir! E se você se mantém fixado nisso você vai começar a acelerar nessa evolução, acelerar na realização desses objetivos que você quer alcançar.

Então o que eu quero dizer para você hoje é que essas “historinhas”, que você conta, é o que está te  impedindo de ser a pessoa que você quer se tornar.

Como eu falei um dos hábitos que a gente precisa trabalhar para ser uma pessoa produtiva é o hábito de trabalhar com números, e métricas. E não foi fácil para mim, porque eu sou formada em direito, eu amo a área de humanas, amo desenvolvimento pessoal e eu tive que trabalhar essa parte do meu cérebro pra conseguir me tornar uma pessoa produtiva…

Assista o vídeo completo …

Se você quer saber mais como ser uma pessoa Altamente Produtiva, participe da palestra que eu farei agora, no dia 24/11 às 20h Clicando Aqui

Um forte abraço

Marina Carvalho

Idealizadora do Programa

Produtividade Campeã

Deixe uma resposta